segunda-feira, 4 de junho de 2012

Rebecca, a mulher inesquecível (1940)

"Rebecca", o primeiro filme americano do diretor britânico Alfred Hitchcock relata a história de uma moça recém casada sendo assombrada pela memória da primeira esposa de seu marido.
O roteiro foi baseado no romance gótico de Daphne Du Maurier publicado em 1938. Embora sendo de autoria de Du Maurier, vários autores reclamam créditos sobre a história.

Spoiler Alerta
Joan Fontaine dá vida à nova esposa de Maxim de Winter (Laurence Olivier), e em nenhuma parte da película tem seu nome mencionado, sendo referida apenas como a nova Sra. de Winter. O casal se conhece em Monte Carlo, onde a moça está acompanhando uma velha senhora. Depois de casados ele à leva para sua propriedade na Inglaterra, Manderley, que é onde os problemas começam para a nova Sra. de Winter.


Todos os frequentadores da casa e empregados estão sempre comparando suas ações com as de Rebecca, a primeira esposa de Maxim. Daí o subtítulo apropriado que o filme recebeu no Brasil: "A mulher inesquecível".

Mesmo sem apresentar forma física durante todo o filme, Rebecca está sempre na mente de todos, sendo constantemente lembrada. Uma outra figura importante para o desenvolvimento da história é a governanta Sra. Danvers (Judith Anderson). 

A Sra. Danvers tinha uma relação de confidente com Rebecca, e ainda não aceitou sua morte, mantém o quarto da falecida como um santuário e sempre lembra a recém casada da sofisticação e elegância da outra.  A nova Sra. de Winter começa a se sentir a duvidar de seu relacionamento com o marido e a acreditar que nunca vai substituí-la em seu coração. No entanto, a moça começa a descobrir fatos da vida de Rebecca que ameaçam  destruir o mito que havia sido criado pela antiga Sra. de Winter.
Fim dos Spoilers

Curiosidades

-o nome da personagem principal nunca é revelado, sendo referida como a Outra Sra. de Winter, a Nova Sra. de Winter ou a Segunda Sra. de Winter, sendo que seu marido apenas a chama de querida; 

-a personagem título não aparece, no entanto tem uma forte presença na trama;

-no roteiro original a protagonista seria chamada Daphne, mas a autora não permitiu;

-Maureen O'Hara revela em sua autobiografia que era a primeira escolha para o papel principal;

-David O Selznick comprou os direitos do livro por cinquenta mil dólares para servir como veiculo para Carole Lombard. Também queria para o Maxim de Winter, Ronald Colman, que não aceitou pois falava sobre assassinato e o protagonista era mulher. Então o personagem foi oferecido a William Powell e Laurence Olivier, que aceitou trabalhar por cem mil dólares a menos que Powell e acabou por ficar com o papel;

-Em 1944, Edwina Levin MacDonald processou David O. Selznick , Daphne Du Maurier , United Artists e Doubleday por plágio. Ela alegou que o filme foi baseado em seu romance "Blind Windows", e pediu uma quantia não revelada de danos;

-por instrução de Hichcock, Judith Anderson raramente pisca os olhos durante a película;

-para manter a atmosfera gótica do livro, o diretor insistiu que fosse filmado em preto e branco;

-o filme fez tanto sucesso na Espanha que os coletes que Joan Fontaine usa na caracterização da personagem, passaram a ser conhecidos como 'rebecas', que ainda é usada atualmente para se referir a essa vestimenta;


-várias atrizes fizeram teste para o papel da segunda Sra. de Winter, entre elas a namorada de Laurence Olivier, Vivien Leigh. O ator ficou frustrado pela atriz não ter sido escolhida passou a tratar mal Joan Fontaine. Como a moça ficou insegura e deslocada, Hitchock mandou que todos a tratassem assim no set, já que o sentimento combinava com o da personagem.

-o personagem também foi oferecido a Olivia de Havilland, irmã de Fontaine;

-é o único filme do mestre do suspense a ganhar um Oscar de Melhor Filme. (Fonte IMDb)

Frases

 "Go ahead. Jump. He never loved you, so why go on living? Jump and it will all be over... "(Sra. Danvers)


(Vai em frente. Pule. Ele nunca te amou, então porque continuar vivendo? Pule e tudo acabará...) 

"She knew everyone that mattered. Everyone loved her." (Sra. Danvers)
(Ela conhecia tudo mundo que importava. Todos a amavam)

"Mrs. de Winter: [about her father] He had a theory that if you should find one perfect thing, or place or person, you should stick to it. Do you think that's very silly? 

Maxim de Winter: No, i'm a firm believer in that myself. "


(Sra de Winter sobre seu pai: Ele tinha uma teoria de que se você achou algo perfeito, ou lugar ou pessoas, você deve segurá-lo. Não acha isso bobo?

Maxim: Não, eu acredito firmemente nisso.)


Imagens via listal.com

2 comentários:

  1. Muito obrigado Antonio. É uma honra receber sua visita, seu blog é um dos melhores que eu leio.
    Volte sempre!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...