domingo, 23 de setembro de 2012

Diário de Uma Garota Perdida (1929)


A parceria entre o diretor alemão GW Pabst e a estrela do cinema mudo Louise Brooks rendeu dois ótimos filmes. O primeiro foi "A Caixa de Pandora", de 1929, que imortalizou Brooks no papel de Lulu. O segundo foi "O Diário de Uma Garota Perdida", também de 1929. Ambos os filmes fazem parte da "Trilogia Erótica" de GW Pabst, sendo completada por "Abwege", de 1928. 

O filme (Pode conter spoilers) Thymian é uma jovem mimada que vive com seu pai Robert Henning, que é um farmacêutico. Um dia a empregada Elisabeth vai-se embora e comete suicídio. O motivo? O pai de Thymian a tinha engravidado. Outra empregada é contratada, Meta, que também inicia um romance com Henning. Quando a jovem descobre sobre o caso e o suicídio de Elisabeth, fica desolada. Ao procurar consolo nas mãos de Meinert que cuida da farmácia de seu pai, acaba sendo estuprada. Thymian dá a luz uma criança, Erika Henning, que sua família entrega para adoção. Como a moça se recusa a revelar o nome do pai da criança, por medo de se ver obrigada a contrair matrimônio, a família decide mandá-la para um reformatório.

Enquanto Thymian se encontra no reformatório, Meta se torna senhora da casa e transforma o quarto de Thymian em berçário. O pai da garota e todos ao seu redor passam a ser controlados por Meta. Paralelamente também é narrada a história do Conde Osdorff, um jovem playboy, que após não conseguir se adequar a nenhuma função ditada por seu tio, lhe é oferecida a chance de descobrir por si mesmo o que fazer. Ele acaba por se tornar um aliado para Thymian. No reformatório, Thymian, faz amizade com uma moça chamada Erika. 

Thymian no reformatório
As garotas formam uma aliança. Na cena em que a inspetora descobre o diário de Thymian e tentá tirá-lo dela, todas as meninas trabalham em conjunto para que a outra não consiga por as mãos nele. É nesta mesma cena que as garotas subjugam a mulher e Thymian e a amiga Erika escapam do reformatório.

Enquanto fugitivas, as duas amigas, começam a trabalhar em um prostíbulo. Ironicamente, é neste período de sua vida que a garota conhece companheirismo e paz. 


Com a amiga Erika
Três anos depois, quando o pai de Thymian morre, na esperança de receber uma fortuna, a moça decide ir em busca de um novo futuro e para isso casa-se com o Conde Osdorff. Quando descobre que Meinert, que comprou sua parte na farmácia de seu pai, está para por Meta e  a filha na rua, Thyamin vai ao socorro delas para que essas não enfrentem o mesmo destino que foi imposto à ela e dá o dinheiro recebido na venda para elas. O Conde que esperava receber um pouco dos benefícios acaba por atirar-se à morte.

Thymian acaba por ter em seu destino uma grande reviravolta, ao ser aceita pelo tio de seu marido, e introduzida na sociedade como Condessa Osdorff. 



Observações e curiosidades O filme é uma crítica a sociedade burguesa alemã e suas contradições e hipocrisias, fato que se pode observar em diversos momentos do longa. Como por exemplo, o desprezo a Thymian, enquanto que seu pai engravida e abusa das empregadas. Outro exemplo também é Meta sendo inserida na sociedade enquanto que se casa com Robert Henning por ter engravidado deste, enquanto que a menina é mandada para o reformatório. 


Os responsáveis pelo reformatório parecem divertirem-se em punir as garotas, e às vezes procurar motivos para machucá-las. Talvez, isto seja uma crítica ao Sistema, que invés de corrigir, pune e exclui aqueles que deveriam ser "reformados". Ao passo que, quando no prostíbulo, Thymian é protegida pelos donos do lugar e vive como numa irmandade.

O livro da qual a história do filme se baseou foi um dos maiores best-sellers alemães do início do século XX. Escrito por Margareth Böhme, que acabou sendo julgada como prostituta,o livro foi censurado e gerou polêmica por toda a Europa. Em 1907, o escritor inglês Hall Caine descreveu o livro como "a história comovente de uma menina de grande coração que manteve sua alma viva no meio de toda a lama que envolvia seu pobre corpo". Durante a Alemanha Nazista, devido ao seu conteúdo revelador, o  livro foi tirado de catálogo, só sendo publicado novamente em 1988. [Fonte: louisebrookssociety.blogspot.com]

É a segunda adaptação do livro, sendo a primeira de 1918, que hoje é considerada perdida. E as duas versões do filme foram censuradas, especialmente nas cenas chaves, como o estupro, por exemplo. 

Elenco Thymian ... Louise Brooks

Conde Osdorff ... André Roanne

Robert Henning ... Josef Rovenský

Meinert ... Fritz Rasp

Meta ... Franziska Kinz

Erika ... Edith Meinhard
Assista no Youtube Diário de uma garota perdida

sábado, 1 de setembro de 2012

The Entertainer Scott Joplin

O ragtime, antecessor do jazz, dominou as paradas musicais no começo do século XX. O responsável pela popularização do gênero e que veio a mais tarde ficar conhecido como o 'rei do ragtime' foi Scott Joplin. Você provavelmente já ouviu alguma composição do músico. The Entertainer, sua melodia mais conhecida foi adaptada por Marvin Hamlisch para a trilha sonora de um vencedor do Oscar: Golpe de Mestre (1973).


Biografia

Não se sabe exatamente onde e quando Scott Joplin nasceu, mas segundo o The Scott Joplin International Ragtime Foundation acredita-se que tenha ocorrido no Texas, no fim da segunda metade de 1867. Seu pai, ex-escravo, mudou com a família quando o músico ainda era criança para a cidade de Texarkana, exatamente entre a fronteira do Texas e Arkansas. 

Após seu primeiro contato com o piano, Joplin passou a ter aulas com Julius Weiss, um professor local, que ajudou no aprendizado das formas musicais europeias. 

Em 1880, quando o pai abandonou a família, a mãe, Florence, viu se obrigada a sustentar os filhos e contou com a ajuda de Scott Joplin, trabalhando em ferrovias. Mas viu que não era para ele e saiu de casa para ser músico viajante, passando em turnê por todo o sul do país. Em 1894, participou da Feira Mundial em Chicago e depois passou um tempo em St. Louis, ajudando a tornar o ragtime o ritmo mais popular da época. Quando não em turnê, Joplin ficava em Sedalia, Missouri e ensinava piano a vários que depois vieram a se tornar mestres em ragtime: Brun Campbell, Scott Hayden e Arthur Marshall. 
via desequilibrios.com.br

Em 1895, viajou para Siracusa com seu Quartette Medley TexasEm 1899, Scott lança sua primeira obra Maple Leaf Rag, com o qual adquiriu poder monetário suficiente para dedicar-se inteiramente à música. Nos anos seguintes compôs uma imensidade de melodias de todos os tipos, desde óperas ragtimes, polcas e a valsas. 
 
Joplin veio a se casar duas vezes: primeiro com Belle Joplin do qual se divorciou em 1904 para casar-se com Freddie Alexander, que tragicamente faleceu dez semanas após o casamento.

Portador de sífilis e com episódios de demência, Scott Joplin veio a falecer em 1917, sendo enterrado como indigente. 

Apesar de ser bastante popular em sua época, Scott Joplin não era reconhecido como um compositor sério. A grande admissão no círculo dos grandes compositores só ocorreu em 1972, com o relançamento de sua obra e a aclamação dos críticos. 


The Entertainer




O ragtime como ritmo musical obedece a seguinte composição:

  • s.m. (pal. ing.) Estilo musical muito sincopado, em voga por volta do fim do séc. XIX (mas ainda praticado), originário do folclore negro-americano e de música de dança dos brancos. / Estilo pianístico e orquestral dele advindo. / Música com o ritmo do ragtime. (fonte: Verbetes.com)

Scott Joplin é muitas vezes é reconhecido como o responsável pela introdução do piano banjo, muito utilizado nas músicas e composições populares, na música da elite estadunidense. Ao misturar influências das culturas afro-americanas e as europeias, Joplin oferece um ritmo "acessível" à todas as camadas da sociedade. Composições simples, mas refinadas. 

As composições muitas vezes agitadas e dançantes vem da experiência em bares e cafés nos quais Scott Joplin trabalhava tocando em seus primeiros anos. 

A primeira obra de Scott Joplin lançada foi o Maple Leaf Rag em 1899, embora tenha sido realizada em 1895. Supõe-se que o nome da partitura tenha se originado do Clube Maple Leaf, no qual Joplin chegou a tocar. Maple Leaf Rag foi a primeira peça instrumental a vender mais de um milhão de partituras. Durante sua vida Scott Joplin não conseguiu repetir o sucesso da primeira composição, mesmo que posteriormente The Entertainer tenha se tornado sua obra mais conhecida. Os rendimentos da música permitiu que o compositor pudesse viver tranquilamente o resto da vida, ainda que modestamente. 


Maple Leaf Rag foi tão reconhecida nas três primeiras décadas do seculo XX que pode ser encontra na trilha sonora do O Inimigo Público (1930).

Capa da primeira edição
The Entertainer foi registrada em 1902, sendo considerada a melhor e mais conhecida das composições do músico, e também o ragtime mais famoso. Graças ao arranjo e modernização de Marvin Hamlish, em 1972 com o lançamento de O Golpe de Mestre, a composição atingiu novos patamares, tendo chegado  no top 3 da Billboard Hot 100. 
    
                 

Também da obra de Joplin podemos destacar a ópera Treemonisha, a primeira grande obra do gênero composta por um afro americano. Embora não seja um estilo predominante, Treemonisha geralmente é lembrada como "ópera do ragtime". A ópera não tinha sido performada em sua totalidade até 1972 com o "boom" do ragtime. Escrita em 1902, só haviam sidos apresentados trechos dela, já que não era interessante à elite. Devido a notas de orquestração da Tremonisha terem sido perdidas, em 1972 outros compositores recriaram as performances subsequentes, tendo se tonado sucesso de público e de crítica. No mesmo ano Scott Joplin foi agraciado, postumamente, com o Prêmio Pulitzer pela "contribuição à música americana".

Treemonisha é uma ópera romântica popular. Conta a história de uma negra, Treemonisha, que recebe aulas de leitura com uma mulher branca e que leva a comunidade negra contra a influencia daqueles que se aproveitam da ignorância e superstição deles. Então Treemonisha é raptada e prestes a ser jogadas em um ninho de vespas quando seu amigo Remus a resgata. A comunidade percebe o valor da educação e a escolhe como professora e líder. Peça bem feminista para a época.



Curiosidade: Acredita-se que o primeiro grande sucesso do renomado Irving Berlin Alexarder's Ragtime Band, de 1911 tenha sua melodia emprestada de Drag A Real Slow, que Scott Joplin tinha submetido a uma editora.  

*As datas e lugares citados não são totalmente precisos devido a contradições entre as fontes. 

MAIS MÚSICAS





LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...