quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Méliès e irmãos Lumière: Visões acerca do cinema



É um fato conhecido que os irmãos Lumière levam o crédito de pais do cinema. E que Georges Méliès é o pai dos efeitos especiais. Contemporâneos,  todos tinham visões diferentes sobre a utilidade do cinematógrafo.

Louis e Auguste Lumière
Embora a invenção do cinema anteceda Louis (1864-1948) e Auguste (1862-1954) Lumière, eles são os responsáveis pela criação do cinematógrafo, instrumento que permite a captação de movimento e a projeção desse movimento. Thomas A. Edison, inventor da lâmpada, já havia realizado experimentos na área, porém sem sucesso. Embora a invenção de Edison, o quinetógrafo, conseguisse captar o movimento, não conseguia projetar numa tela, sendo possível apenas a uma pessoa assistir de cada vez. Contam que Edison buscava o cinema sonoro, que seria impossível sem antes a captação do movimento e com os avanços tecnológicos da época.

Embora seja dito que os irmãos Lumière defendiam o uso do cinematógrafo apenas para fins científicos e de registro, a primeira exibição, no Grand Café, na cidade de Paris em 28 de dezembro de 1895 já atestava ao menos a finalidade de entretenimento.

Como provam os primeiros filmes realizados por eles, embora entretenimento, os curtas pertencem ao que chamamos hoje de documentário, já que são o retrato fiel de uma época, a captação do fato no momento em ocorre, portanto a finalidade cientifica seja a mais creditada. Devido a esse aspecto real, os filmes eram sucesso de público. Embora muitos dos que assistiam às sessões, acreditassem se tratar de um mero ilusionismo, a invenção logo foi popularizada e propagada.

Alguns filmes dos Lumières:


O cinema poderia ter apenas duas finalidades: ciência ou arte. Se os irmãos Lumière se encarregaram da primeira, devemos agradecer a Georges Méliès (1861-1938) a segunda, que trouxe o veio artístico.

Presente na primeira exibição do cinematógrafo, Georges Méliès, daria outros fins à invenção. Ao se negarem a vender ao ilusionista um dos aparelhos, os irmãos, incentivariam que Méliès construísse a sua própria. 

George Méliès
Vindo do teatro, Méliès era um mágico, um entertainer, que viu na câmera a possibilidade de construir sonhos jamais imaginados. Com truques e efeitos de câmera, Méliès encantou e maravilhou pessoas de sua época. 

Responsável por introduzir no cinema vários efeitos especiais básicos, o mágico foi o responsável pela criação dos gêneros de fantasia, comédia e ficção científica na sétima arte. De fato, "Viagem À Lua", de 1902, é considerado o primeiro filme de ficção cientifica da história. Escrevendo, dirigindo e atuando, Georges Méliès produziu cerca de quinhentos filmes, a maior parte perdida nas Guerras. 

Alguns filmes de Méliès

Cozinheiro em Apuros (1904)
O Capetinha Travesso (1905)
A Super Cola (1907)
Os Bigodes Indomáveis (1904)
O Chinês Ilusionista (1904)
O Maravilhoso Leque Aminado (1904)
A Sereia (1905)
A Liteira Encantada (1907)

Muito embora, alguns críticos não considerem as produções da época como arte, e sim como entretenimento, foram essas que permitiram o surgimento do cinema como grande contador de história e com veia artística.

Fonte: BILHARINHO, Guido. Irmãos Lumière - A Invenção do Cinema - A Memória da Imagem e A Viagens Imaginárias de Georges Méliès - A Imagem da Memória, In. Clássicos do Cinema Mudo, Uberaba/2003 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...